Reflexões sobre o que é real

O que procuram os milhares de indivíduos que fogem da Venezuela e buscam salvação no Brasil? Do que fogem? Fogem da miséria crua, de um modelo de governo que não funciona; de uma sociedade que lhes tirou a esperança; de um modelo que virtualmente é perfeito, mas realisticamente é inconfiável, pois não é sustentável…?

Em 2016, 30% de todos os pedidos de refúgio no Brasil foram provenientes da Venezuela, rivalizando com os eternos e miseráveis países africanos e a Síria, envolvida em guerra civil. 87.545 pedidos de carteira de identidade foram emitidos por venezuelanos só no primeiro quadrimestre deste ano, 21.017 já solicitaram permissão para deixar a república bolivariana vizinha para poder continuar a sobreviver com dignidade.

E o que passa pela cabeça dos chamados Esquerda ao se depararem com este cotidiano que teima em se repetir ao longo dos anos por todos os países onde o socialismo estadista trafegou num determinado instante da história e sempre terminou da mesma maneira: provocando enormes massas de desvalidos à procura do básico (liberdade e subsistência)?

Quanto desta teimosia é realidade, fantasia, paradigma, fé, fanatismo, desejo, sonho, frustração, desinteligência, desesperança, paixão, lógica?

E a mesma reflexão, no campo da religião agora, vale para o islamismo. Nenhuma religião no planeta provoca tanto êxodo, tanta fuga em massa, tanto desespero por vida digna, quanto a religião de Maomé. É só colocar os olhos na realidade planetária e você vai chegar a esta constatação.

E o que passa pela cabeça dos chamados islâmicos ao se depararem com este cotidiano que teima em se repetir ao longo dos anos por todos os países onde esta religião é predominante (é lógico que estou falando de gente simples, não de Famílias
Reais, mulás, guardas republicanas, elites petroleiras, califas, imãs, mandatários supremos, etc.)?

Quanto desta teimosia é realidade, fantasia, paradigma, fé, fanatismo, desejo, sonho, frustração, desinteligência, desesperança, paixão, lógica?

Lembrei desses dois totens humanos: Esquerdismo e Islamismo porque são, dentro de cada cenário particular, extremos.

Então, duas perguntas para você aí tentar responder: por que é tão difícil as pessoas se livrarem dos seus fantasmas, das suas convicções, das suas verdades, mesmo tendo provas cristalinas que elas são apenas fantasmas? E quanto tempo perdemos na vida tentando alimentar aquilo que apenas destrói?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: