O efeito Maluf

Paulo Maluf (PP) deixa para a nação uma herança jurídica maldita. Maluf diz para a população, e principalmente para as crianças que, se você tem foro privilegiado, pode roubar à vontade e, caso seja denunciado e tiver que passar pela corte de algum tribunal, você pode utilizar a ruindade do sistema judiciário brasileiro para protelar uma possível condenação até que esteja quase morrendo de velhice. Então, passar pouco tempo na cadeia por idade.

Isso ficou absolutamente esclarecido com  o destino do deputado, dado pela Justiça, que liberou o político condenado por corrupção, para desfrutar das delícias de uma prisão domiciliar, com o desplante de ainda ser transladado de jatinho particular.

Enquanto Dilma, que contribuiu para quase falir a Petrobrás, vive as delícias de uma aposentadoria espetacular, enquanto Lula que  chefiou uma das maiores organizações criminosas do planeta desfila em carro aberto diante de suas prostitutas obedientes pelo Brasil, enquanto Temer segue comandando o Brasil mesmo alvo de acusações terríveis, enquanto deputados e senadores atolados em sujeiras de todos os cheiros seguem impunes no Congresso Nacional.

Pois Maluf deu um nó novamente na Justiça e agora, utilizando de um dodói, vai para seu SPA particular, curtir os últimos anos de uma vida pública recheada de dano ao Brasil. Quer uma coincidência? Pois adivinha só que instituição possibilitou esse mimo à Maluf? Se você disse Supremo Tribunal Federal (STF), acertou na mosca.

Então? Tá difícil de engolir? Faça a diferença nas eleições deste ano. Reaja!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: