Pequeno dicionário à Esquerda

Esquerda: Religião ideológica que entende que uma minoria tem que ser escrava do Estado porque é culpada de ter sido bem sucedida profissionalmente; Conteúdo que faz a pessoa enxergar perfeitamente ao redor de si e ser completamente cega à realidade; Aluno que lê a expressão “Horizontalidade na relação Educador-Educando e enfia a mão na cara da professora quando ela implora para ele desligar o Smartphone, ganho do pai para não usar mais maconha; Sentimento de total prostração ao paradigma; Aversão ao trabalho como instituição de construção social; Filosofia para pessoas que adoram viver um mundo de mentira, mesmo sabendo que perecerão por causa dela; Lado oposto à direita não importa se está em jogo a própria sustentabilidade da vida.
Esquerdopatia: Ideologia estratégica que incute no cidadão desatento a doutrina da Ideologia da Culpa; Doutrina-mãe da liberação do uso de drogas; Sensação de ódio a qualquer noção de limite; Furor descontrolado a qualquer símbolo militar;  Especialista em deturpar a história, se a interpretação especializada estiver conectada com o viés da cartilha; Religião política do sujeito que mata a mãe pelo presidente do partido e envia um memorando ao presidente da instituição dizendo “já resolvi o assunto”; Filosofia do cidadão ligado umbilicalmente a Sindicatos e que fez sua vida profissional através do suor alheio; Sujeito que fala a palavra “camarada” a cada três respiradas;  Achar que Che Guevara deveria ser canonizado;  Especialista em responder frases prontas nas redes sociais em resposta a opiniões diferentes.
Esquerdopata: Galinha que acha que é águia; Dono da própria ideia dos outros; Fanático pela época dos governos militares, de tal maneira que não consegue viver longe dela; Especialista em motivar abobados; O sujeito que morre, vai por engano para o Céu e fica discutindo com Deus duas semanas; Cidadão que ainda acredita que Lula é inocente; Especialista em emprego com estabilidade; Ladrão de energia que destrói grupos de trabalho; Indivíduo que é um zero à Esquerda(desculpe o trocadilho); Pessoa que usa muito expressões como “fascista”, “alienado”, “assédio moral”, “capitalista”, “desigualdade social”, mas usufrui sem dor na consciência carros, motos, casas, cargos com salários de rei, status social de sultão e palestras, muitas palestras a preços exorbitantes; Cidadão que suga a Mãe Pátria até que seus seios pendam murchos e secos, sem dar de si para a sociedade onde é parasita; Pessoa que pensa com os intestinos dos outros; Indivíduo social que segue a máxima de que “Os fins justificam os meios”.
Esquerdocida: Soldado de partido que esfaqueia o candidato que a sua agremiação política mais odeia; Indivíduo que, quando pego em crime, imediatamente tem no mínimo quatro advogados de renome caídos do céu e pagos por entidade escondida; Sujeito sem emprego mas com quatro celulares e quatro advogados (um advogado para cada celular).
Esquerdalha: Coletivo de esquerdopatas e esquerdocidas; Organização criminosa unida pela adoração política ao presidente do partido e não seu estatuto; Grupo de intelectuais espalhados nas escolas, ONGs e universidades encarregados de alimentar a ideia de que o ser humano é apenas uma formiga dentro da sociedade e como tal deve agir; Conjunto de partidos políticos alinhados com o bolso dos companheiros e redes organizadas de funções criminosas quando no poder; Grupo de magistrados e ministros da justiça que cospem para cima e ficam parados para ver o que acontece.
Esquerdofarpa: Fanático ideológico que usa as redes sociais para cutucar, espetar, ferir, provocar, estocar para promover suas inquebrantáveis noções de verdades absolutas e imutáveis a partir de um ovo de serpente chamado social-comunismo. Nota: o esquerdofarpa é incapaz de ferir com algo genuíno. Tudo o que usa como lâmina já foi fabricado antes e convenientemente entregue com o porte de arma da tribo para uso indiscriminado nas mídias.
Esquerdonista: Esquerdopata oportunista-capitalista sem remorso algum de encher os próprios bolsos com dinheiro fácil.
Esquerdofrênico: Portador de uma doença mental que, ao ter alterado o funcionamento da mente e motivado por profundo distúrbio do pensamento e das emoções, perde a noção da realidade política e social, passando a defender o indefensável. Tem o hábito de defender até a morte totens, símbolos, gurus, líderes paranormais, youtubers, professores mariners. Da mesma maneira, passa a odiar quem seus totens odeiam, podendo em casos extremos, praticar atos de violência contra a vida. Nota1: é comum esquerdofrênicos terem os melhores advogados pagos pelo Totem, para os defenderem nos tribunais. Nota2: trabalhadores regulares, cidadãos ditos normais jamais terem advogados pagos pelo Totem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: